Outubro rosa: essa luta é de todas nós!

0
30
Outubro Rosa: na luta contra o câncer de mama

Outubro Rosa

O movimento nasceu nos anos 90, com o objetivo de estimular o envolvimento da população no combate e controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente durante todo o mês de outubro através de ações com o objetivo de compartilhar informações sobre a prevenção e o tratamento do câncer.

Além disso, as campanhas feitas por diversos órgãos de saúde, promovem ações de conscientização para que as mulheres se conheçam e cuidem mais de sua saúde, já que o câncer quando descoberto logo no início possui mais chances de cura.

Pri Schiavinato e Outubro Rosa

Em 2016 foram esperados 57.960 casos novos de câncer de mama, o tipo de câncer mais comum entre as mulheres do mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, de acordo com INCA. A doença responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano, sendo responsável pela morte de inúmeras mulheres.

Nós da Pri Schiavinato Acessórios apoiamos a causa para que, cada vez mais, as mulheres tenham mais conhecimento de seu corpo, cuidem melhor de sua saúde e busquem por ajuda e informação!

Cuide-se!

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e cura. Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres.

Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.

Mamografia é uma radiografia das mamas feita por um equipamento de raios X chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas.

Mulheres com risco elevado para câncer de mama devem conversar com seu médico para avaliação do risco para decidir a conduta a ser adotada.*

 

*Informações do INCA (Instituto Nacional de Câncer)