MFW: Principais desfiles

Nos últimos dias aconteceu a Semana de Moda de Milão (MFW), onde ocorreram grandes desfiles dos grandes nomes da moda. Caso você não tenha conseguido acompanhar, separamos as melhores coleções e te deixaremos super antenada em relação as novas tendências.

Max Mara

A marca fez uma coleção que tinha como objetivo o conforto e looks monocromáticos, entretanto, Max Mara, levou para o desfile diversas tendências que já foram lançadas em Nova York, como: veludo molhado e sobreposições. Apesar do conceito voltado para o comfy, os looks não eram muito casuais, e o visual monocromático foi quebrado com a variedade de tecidos e texturas.

Gucci

Gucci teve duas inspirações para seu desfile de inverno: o barroco, que já estava presente em coleções passadas, e a década de 80, com calças clochard de lamê e os maiôs. A marca misturou as referências com a querida fauna lúdica, cheia de borboletas e outros insetos. A passarela esteve repleta de sobreposições com um toque de street style, detalhe para a volta das pochetes.

Alberta Ferretti

O desfile de Alberta Ferretti foi marcado pela presença de tecidos extremamente fluídos, que levavam para a passarela leveza. Além dessa característica, que sem dúvidas foi o destaque, a marca usou cortes clássicos de vestido com caudas e capas longas, e, uma tendência que surgiu no street style, o look com a cara de pijama.

Fendi

Há 52 anos liderando a Fendi, Karl Lagerfeld, criou uma coleção clássica: cheia de alfaiataria, pele, casacos com cortes impecáveis e muito, muito, vermelho! Mesmo se estivesse só nos acessórios, não teve um look sem a cor.  Além disso, o estilista, colocou em destaque a silhueta feminina, fazendo com que o corte de suas roupas marcasse a cintura das modelos.

Prada

Inspirada pelo empoderamento feminino, a Prada, fez um desfile com mulheres estampando suas roupas, além de veludo cotelê, alfaiataria, franjas e tricô – de tecido bem felpudinho. Presente em todos os looks, temos os cachecóis que variaram em tons de cinza e vermelho.

Moschino

Inspirado pelo lixo, Jeremy Scott, levou para a passarela da Moschino, looks com referências em: sacolas, papelão, fita adesiva, cobertor de flanela, revistas, enfim, tudo que é desprezado e descartado. Com esses itens, ele criou peças desejadas e divertidas, uma característica da marca.

Versace

Inspirada pelo feminismo, Donatella Versace, criou uma coleção que levava em suas peças palavras como: amor, igualdade, força, poder, unidade e inclusão. E todas as modelos eram diferentes entre si, representando cada parte do mundo. Além disso, a marca trouxe tons escuros em contraste com neon e muita sobreposição.

Emporio Armani

A primeira parte do desfile pode ser definida como: cortes clássicos, estampa de bolinha, veludo molhado e plástico. Mas, após isso, a Emporio Armani trouxe diversas referências aos anos 80: as estampas e tecidos da época, jaquetas cropped e acessórios giga.

Dolce & Gabbana

Buscando agradar a geração millennial, a Dolce & Gabbana, trouxe uma coleção cheia de rococó, coroas, bordados, brilho e patches. Mas, o desfile não foi destaque por trazer essas tendências, e sim pelo seu casting de modelos que foram, nada mais nada menos, que os maiores influenciadores de cada país. Nós do Brasil não ficamos de fora e fomos representados por Grazi Massafera, Marina Ruy Barbosa e Helena Bordon.

A MFW tem motivos para ser uma das semanas de moda mais aguardadas do mundo, pois, do solo italiano, que vieram as marcas mais desejadas da Terra.